fbpx

A fé cristã é parte importante do diferencial na sua profissão

Nos últimos anos tem sido frequente surgirem programas, cursos, workshops, autores, livros etc., versando sobre técnicas e maneiras para nós, cristãos, desenvolvermos habilidades e inteligências desejáveis na obtenção de êxito na carreira secular ou na condução do próprio ministério. De tempo em tempo mudam as nomenclaturas e fazem, a bem da verdade, um remake do modelo anterior, adicionando um novo ingrediente, uma nova pesquisa (dita científica), tudo muito cosmético, quando observado com mais critério.

Parte dessa nova bagagem oferecida poderia ser rapidamente descartada, por razões que não entrarei em mais considerações. Mas parte dessa bagagem é, para nós, repertório daqueles que caminham no campo da fé cristã, ao contrário do que possamos pensar em demérito da nossa bagagem espiritual. Tomo um único exemplo, além do que escrevi no artigo anterior (link), nas palavras de Warren Buffett, o famoso filantropo e investidor norte-americano. Ele disse: “Ao escolher com quem trabalha, você busca três qualidades: integridade, inteligência e energia. Se você não tem a primeira, as outras duas vão acabar com você”.

O que é a integridade? Grosso modo, é uma virtude, uma qualidade, como ele disse, encontrada nas pessoas íntegras. Isso nos leva a pensar em uma pessoa completa, plena, em quem não há falta ou deficiência. E aqui, com toda a segurança, ele está pensando em mais do que meramente honestidade, está sendo um aspecto daquela.

A integridade é (ou deveria ser) artigo próprio das pessoas que cultivam e valorizam a fé no Senhor. Veja como se manifestam o autor dos provérbios: “Ele reserva a sensatez para o justo; como um escudo protege quem anda com integridade” (Provérbios 2.7) e o apóstolo Paulo, ao aconselhar a Tito: “Em tudo seja você mesmo um exemplo para eles, fazendo boas obras. Em seu ensino, mostre integridade e seriedade” (Tito 2.7).

De certo modo, a integridade é um fruto daquele que se volta para o Espírito ou daquele que anda pela fé, mas falamos aqui de uma fé responsável e transformadora.

A nova economia do século 21 procura profissionais que sejam habilidosos, talentosos, criativos, não sem antes interessar-se por uma qualidade que o cristão precisa cultivar: a sua integridade. Segundo Warren Buffett, sem ela, ninguém irá a lugar algum! Portanto, penso estar claro que precisamos melhorar aspectos técnicos em nossas competências, sem, com isso, desmerecer nem descuidar do repertório que podemos receber do Senhor por meio de uma fé cristã madura e vigorosa.

Recommended Posts